Obviamente todos almejam um bom salário. Ou melhor, um salário digno. Um salário que possa proporcionar uma boa qualidade de vida, que permita sustentar sua família, comprar sua casa, pagar seu meio de transporte e adquirir os bens de consumo desejados além de favorecer viajar tranqüilamente durante as merecidas férias.



Para tanto, trabalhamos horas e mais horas diariamente, fazemos cursos de capacitação profissional, de pós-graduação, idiomas entre tantos outros. Participamos de todas as reuniões, independentemente de serem agendadas em horário de trabalho, extra-horário de expediente ou finais de semana e feriados.



Como o dia tem apenas 24 horas precisamos aproveitar cada segundo e acabamos indo dormir mais tarde e acordamos mais cedo para verificarmos em nosso lap top, depois ou antes do trabalho, o que nos aguarda para o próximo dia, semana, mês e assim, anteciparmos, durante parte da madrugada, algumas de nossas atividades, afinal o tempo é curto.



Chega o final de semana ou feriado prolongado e permanece a preocupação com o início da semana ou primeiro dia útil, pois esses dias parados irão acumular mais tarefas que teremos que desempenhar. Então, vamos antecipá-las nos finais de semana e feriados também.



E assim vai a vida. Passam-se horas, dias, semanas, meses e anos e tudo muda menos nossas atitudes. Os momentos de lazer foram deixados de lado como se fossem fúteis. Quando sua esposa ou marido chama seu filho e fala: ”Venha, é o papai!” ou “Venha, é a mamãe!” e a criança vai em direção ao telefone para conversar pois imagina que é uma ligação, pois os pais sempre estão fora, trabalhando, é sinal de que alguma coisa passou demais dos limites.



O corpo é uma máquina. Precisa de manutenção e descanso. A manutenção que você oferece ao seu corpo, além da alimentação e atividades físicas, consiste em passar momentos com a família. Amar, ser amado, ver o crescimento dos filhos, acompanhar as tarefas, perceber que a esposa mudou a cor ou corte do cabelo, que existem amigos e que a natureza não é feita daquele vasinho de flores artificiais do escritório.



Você precisa trabalhar para viver, mas não significa que precisa viver trabalhando. Lembre-se, de nada adianta acumular riquezas e castelos se você irá viver eternamente sozinho.




Reprodução Autorizada desde que mencionado o autor e o site e comunicada sua utilização através do e-mail trueconsultoria@trueconsultoria.com.br


 

Trabalhar e Viver
por Wagner Campos